Guitarra com óleo de tungue

Guitarra com óleo de tungue

O acabamento de instrumentos musicais com óleo de tungue é bastante conhecido e valorizado. Aplicar o óleo de tungue requer algum trabalho, mas é fácil e é possível obter efeitos diferentes variando apenas a forma de aplicação.

A técnica tradicional consiste em aplicar diversas demãos muito finas de óleo de tungue diluído com um pano limpo e seco que não deixe fiapos presos à madeira. O solvente pode ser Olio Fluido, terebintina ou aguarrás. A aguarrás normalmente evapora rápido demais para aplicação manual.

Como as camadas de óleo são muito finas elas não escondem defeitos na preparação da madeira – riscos de lixa e marcas de ferramentas também se destacam. Isto significa que você deve começar o trabalho com uma superfície bem uniforme. Prepare cuidadosamente a madeira e lixe bem a superfície com lixa grana 220 ou maior, e limpe bem a superfície com um pano pega pó (tack cloth).

Para saber se existem marcas na madeira basta esfregar um pano limpo umedecido com solvente – aguarrás ou terebintina – sobre toda a superfície. Qualquer defeito fica visível e o solvente evapora sem deixar resíduos. Corrija os defeitos antes de aplicar o óleo e a cera.

O que você vai precisar

  • Óleo de tungue bruto ou polimerizado
  • Solvente: Olio Fluido
  • Pote com tampa para misturar óleo e solvente em diversas proporções
  • Lã de aço n° 0 ou esponja abrasiva muito fina
  • Lixa grana 320 ou maior
  • Panos de algodão

Aplicação

As duas primeiras demãos de óleo são aplicadas diluídas para que o óleo penetre bem na madeira. O intervalo entre demãos em todo o trabalho deve ser de no mínimo 24 horas.

Primeiras duas demãos: Dilua o óleo na proporção de 1 parte de óleo para 1 parte de solvente. Coloque-o na esponja abrasiva e esfregue sobre a madeira. Um pano macio de algodão também serve, mas fazer a aplicação com a esponja ajuda a ‘trabalhar’ o óleo na madeira. Aplique uma boa camada esfregando com movimentos fortes durante algum tempo e mantenha a madeira bem úmida durante toda a aplicação. Quando a superfície estiver bem coberta e trabalhada, deixe que o óleo penetre na madeira por 15 ou 20 minutos. Durante esse tempo é fácil perceber que o óleo vai perdendo o brilho.

A seguir remova todo o excesso de óleo com um pano limpo e seco ou papel absorvente. Esfregue bem o pano sobre a madeira até que ela pareça estar seca.

A dica é: esfregue o pano como se estivesse lustrando cera. Trabalhe até que a superfície da madeira esteja ‘seca’: deve ser difícil perceber qualquer oleosidade. É importante dar atenção a esta etapa porque o excesso de óleo não seca e fica pegajoso.

Demãos seguintes: 3 ou mais, devem ser mais concentradas, começando com 1 parte de óleo para uma de solvente e depois 2 partes de óleo para 1 parte de solvente. A última camada deve ser de óleo puro. Sempre remova o excesso de óleo e aguarde o intervalo mínimo de 24 horas antes de aplicar a próxima demão.

Este acabamento é wet-look com um bonito lustro acetinado.

Acabamento brilhante

Aplique as primeiras duas demãos conforme descrito. As demãos seguintes – apenas 2 – devem ser bem espessas, com óleo puro. Deixe o óleo secar por mais tempo, 30 minutos a 1 hora, e remova todo o excesso com um pano limpo. Logo em seguida lixe toda a superfície com lixa bem fina (pelo menos grana 320) e depois com uma esponja abrasiva fina de acabamento números 3 ou 4. Limpe bem a superfície com um pano e deixe secar bem. O intervalo entre estas demãos deve ser de pelo menos 2 dias.

Depois de 2 dias da segunda demão intermediária aplique uma última demão bem espessa de óleo, aguarde 15 a 20 minutos e remova todo o excesso com um pano limpo. Deixe secar por 3 a 4 dias. O óleo formará uma camada brilhante, com bastante profundidade de cor.

O toque do mestre

O mesmo acabamento pode ser feito com o Olio Brasile, Olio per decking e Olio per mobili, seguindo a mesma seqüência de trabalho. O acabamento “monta” mais rápido sobre a madeira, isto é, fica mais espesso com menos demãos, e tem a mesma profundidade de cor.