Passando a cera a limpo

Passando a cera a limpo

São várias as afirmações a respeito do tratamento de madeira com cera: “o acabamento deve respirar”, “a cera nutre a madeira”, “é preciso remover a cera duas vezes por ano porque o excesso amolece o acabamento” entre outras. Além de falsas, estas afirmações só tornam mais confuso o uso da cera em madeiras.

Antes de discutir estas e outras idéias sobre as ceras vamos fazer uma pequena introdução sobre o que são estes produtos.Os fabricantes de hoje podem escolher uma grande variedade de ceras naturais e sintéticas para formular um bom produto à base de cera – um que protege bem a madeira e é fácil de aplicar. Entre as ceras mais conhecidas: cera de abelha, talvez a cera mais antiga usada para proteger madeira; cera de carnaúba, extraída das folhas da carnaubeira; candelila, extraida de uma planta do deserto mexicano; e parafina, refinada do petróleo e misturada às ceras naturais para tornar mais fácil a aplicação.

Para entender a proteção que a cera dá à madeira, é preciso entender sua propriedades naturais: são substâncias insolúveis em água, uma fina camada de cera é capaz de resistir ao uso porque cria uma superfície com baixo atrito sobre a madeira, fazendo com que objetos escorreguem sobre ela; a cera adere muito bem sobre quase todos os materiais, exceto sobre si mesma; e a cera é facilmente solúvel em solventes como aguarrás e terebintina. As duas primeiras características são importantes para entender como a cera protege a madeira; a terceira e quarta para saber como aplicá-la e removê-la facilmente.

Proteção

O primeiro acabamento aplicado na madeira, seja ele óleo, seladora ou verniz, protege a madeira de líquidos e abrasão e reduz a troca de umidade entre a madeira e o ambiente. Ao contrário do que se costuma dizer, a madeira não precisa respirar nem ser nutrida. Na verdade, é exatamente o contrário o que desejamos: se pudéssemos, isolaríamos completamente a madeira da atmosfera. A troca de umidade que acontece, independente do acabamento que é aplicado, pode causar empenamento, faz as folhas de madeira desgrudarem, juntas perderem rigidez e, se a houver muita umidade, faz a madeira apodrecer.

Manter o acabamento em bom estado retarda estes problemas, e a cera é um dos melhores produtos para conseguir isso. Ela repele líquidos e evita riscos maiores que poderiam destruir o acabamento. A maior parte das ceras é barata e fácil de aplicar, e o seu acabamento é simples e fácil de reparar. Ademais, uma camada de cera bem polida dá um lustro elegante para o acabamento que pode acentuar tanto a cor quanto os veios da madeira.

A maior parte dos produtos para acabamento de madeira adere muito bem sobre si mesmo e oferecem maior proteção com a aplicação de várias demãos. Com a cera acontece exatamente o oposto: aplicar menos é melhor. Para entender isso, pegue um giz de cera e esfregue-o sobre vidro. Se você esfregar o suficiente, toda a cera fica aderida ao vidro. Mas se você esfregar um pano para removê-la vai descobrir que quase toda a cera sai, menos uma camada muito fina quase invisível. E não importa quanto você esfregue, esta camada não descola do vidro. A cera adere com força sobre a maior parte das superfícies, mas não a si mesma.

Quando o excesso de cera não é removido durante a aplicação acontece mais ou menos a mesma coisa. E quanto mais demãos de cera forem aplicadas, mais espessa a camada de cera e, como o giz de cera, vai manchar e ser danificada mais facilmente. A esta camada macia também adere pó e sujeira e isso a torna escura com o passar do tempo. Mas se uma ou duas demãos de cera forem aplicadas para formar uma camada o mais fina possível será produzida uma superfície impermeável e resistente a riscos na qual não adere pó. Não há razão para aplicar demãos adicionais já que isso não traz maior proteção e este excesso provavelmente será removido quando a superfície for polida.

Aplicação

A cera deve ser sempre o último produto a ser aplicado na madeira: nenhum outro adere sobre ela

Você pode aplicar a cera com pano de algodão, lã de aço, esponja de não-tecido (tipo Bear Tex). Todos funcionam bem, mas há algumas diferenças que valem ser destacadas. Lã de aço proporciona uma brilho acetinado sobre acabamentos brilhantes (verniz, por exemplo). É uma boa opção para obter um acabamento semi-brilhante e ao mesmo aplicar a cera para proteger o verniz. Mas a lã de aço não deve ser usada se o que se deseja é um acabamento brilhante. Para isso, use o pano de algodão. Um jeito de espalhar mais facilmente a cera sobre a madeira é colocar uma pequena quantidade no pano e manuseá-lo por alguns segundos, de forma a aquecer levemente a cera. A temperatura amolece a cera e ela espalha de maneira mais uniforme. Esta dica vale para as ceras da linha Artefice; as ceras da linha Brilho+ são cremosas e não precisam deste cuidado.

Ceras Brilho+ à base de água

As ceras da linha Brilho+ são cremosas ou quase líquidas e por isso são as mais fáceis de aplicar. Por causa da sua consistência, o acabamento com estas ceras dificilmente é prejudicado por falta habilidade do aplicador. Utilize esponja de não-tecido, pano de algodão limpo ou trincha, sempre com o cuidado de deixar uma camada bem fina sobre a madeira. Depois que a cera estiver seca, lustre com um pano macio ou equipamento apropriado.

Ceras à base de solvente

Obter uma camada fina de cera é fácil se você entender como os solventes são utilizados na formulação das ceras. Produtos como aguarrás e terebintina são misturados às ceras para formar pastas mais fáceis de se trabalhar. Depois que a cera é aplicada, os solventes evaporam e a cera solidifica novamente. Se você deixar que uma camada grossa de cera solidifique sobre a madeira,será necessário muito trabalho para remover o excesso. Mas se o excesso de cera ainda estiver macio, ele sai facilmente. O tempo que a cera leva para secar não é preciso, mesmo que o rótulo especifique os minutos. O momento apropriado para lustrar é pouco depois da aplicação, mas varia conforme o solvente utilizado. Visualmente, é o momento em que a cera perde o brilho ‘molhado’ e parece ficar opaca. Se você esfregar a cera muito cedo vai remover demais. Muito tarde, será um trabalho cansativo. Mas você pode aplicar mais um pouco de cera sobre a que secou, para amolecê-la e deixar o trabalho mais fácil.

Do mesmo modo, os solventes podem ser utilizados para amolecer e remover a cera da madeira. Uma palha de aço úmida com aguarrás removerá rapidamente a cera da superfície.

Os solventes – e não as ceras – são o principal ingrediente de muitos dos polidores em spray e ceras líquidas vendidas em supermercados, então evite aplicar estes produtos sobre móveis encerados porque eles podem marcar ou remover a cera quando da aplicação. Limpe móveis encerados com um pano seco ou levemente úmido. Se a superfície ficar opaca e riscada, tente lustrar com um pano macio. Isto pode ser necessário a cada três meses em uma mesa com uso constante, e períodos ainda mais longos em móveis pouco usados.