Acabamentos para Tábuas de Corte e Servir

Há vários tipos de acabamento para madeira, mas nem todos são adequados para utensílios de cozinha. Quais acabamentos são seguros para aplicar em tábuas de corte e servir?

Atóxico

A resposta curta é que, para que um acabamento seja seguro para tábuas de corte, ele deve ser atóxico. A princípio, qualquer acabamento completamente curado e inerte é atóxico.

Curado e inerte significa que o acabamento está bem aderido à madeira, não emite gases nem o produto da cura – a matéria que protege a madeira – reage com outros produtos (pelo menos, com aqueles que fazem parte do cotidiano).

Porém, vernizes e stains geralmente têm componentes como fungicidas e biocidas que, mesmo sendo usados em pequenas concentrações e com baixo potencial para causar irritação imediata, podem sair do acabamento ou reagir com outras substâncias sob determinadas condições.

Graus de segurança

Existem diferentes graus de segurança:

  1. Grau alimentício, ou seja, para consumo como alimento, é o mais alto grau de segurança.
  2. Seguro para contato com alimentos, isto é, que podem ser usados em objetos que entram em contato com alimentos – como tábuas de corte e utensílios de cozinha.
  3. Em um grau mais amplo estão os acabamentos que curam e são inertes.

O que não usar em tábuas de corte e servir

Antes de explorar o que pode ser usado em tábuas de corte e servir, vamos falar sobre o que não usar:

  • Óleo de cozinha: vários tipos de óleos vegetais usados para cozinhar também são usados para acabamento de madeira. Porém, eles podem estragar e ficar rançosos e passam a contaminar os alimentos
  • Madeira tratada: madeiras tratadas com preservativos e madeira de pallets. Alguns pallets são fumigados com preservativos e/ou podem ter sido expostos a substâncias tóxicas

COVs, VOCs, solventes

Uma das maiores questões sobre acabamentos para tábuas de corte e servir é a presença de Compostos Orgânicos Voláteis, sendo os solventes usados na composição o tipo mais importante em volume. Apesar de não ser uma coisa que queremos em contato com alimentos, o termo se refere a qualidade do ar e a perigo por ingestão e deixa de ser uma preocupação quando o acabamento cura. Na maior parte dos produtos, os COVs já evaporaram completamente do acabamento quando ele está curado.

O acabamento escolhido deve estar curado

Por isso, é preciso cuidar para que o acabamento escolhido esteja curado antes da tábua ser usada. Acabamentos que por um motivo ou outro não curaram corretamente podem emitir vapores; também são muito mais macios que o mesmo produto quando adequadamente curado e por isso podem ser raspados e mastigados facilmente.

Curado é diferente de seco ao toque

Só porque um acabamento está “seco ao toque” não significa que ele está curado. Temperatura, umidade, ventilação e quantidade aplicada afetam a velocidade de cura. Por segurança, aguarde um tempo maior que o descrito na embalagem antes de colocar a tábua em uso ou enviar para um cliente.

Então, devo usar produtos com grau alimentício?

Como nenhum acabamento para madeira é verdadeiramente comestível, nenhum é “grau alimentício”. E não é isso que você precisa para a sua tábua. O que você precisa são acabamentos seguros para contato com alimentos.

Opções de acabamento para tábuas de corte e servir

Os óleos são excelentes para madeira que vai ser usada na cozinha e precisa aguentar uso pesado. O óleo penetra nas fibras da madeira, onde ajuda a prevenir que ela absorva outros líquidos. É fácil de aplicar, fácil de manter e o lustro característico só melhora com o tempo e uso. Estes são os óleos que nós recomendamos:

GIF White Oil e Olio per ceppi

O GIF White Oil é um óleo mineral purificado, completamente transparente, inodoro e dá um toque macio na madeira. É umas das opções mais populares para proteger tábuas de corte e utensílios de cozinha. Embora ofereça as mesmas qualidades de proteção e resistência dos outros óleos indicados, ele é diferente porque nunca seca de verdade e é preciso reaplicar com frequência.

O Olio per ceppi contém, além do GIF White Oil, extratos naturais que ajudam a evitar a proliferação de bactérias.

Óleo de tungue e Olio Brasile (meio a meio)

Tanto o óleo de tungue quanto o Olio Brasile são óleos naturais extraídos de plantas, que criam um acabamento bastante durável. Estes são óleos secativos – ao contrário dos óleos de cozinha – e endurecem um pouco a madeira quando secam (quando curam, o termo correto). A química envolvida é complicada, mas o resultado é fácil de ver.

É preciso aplicar algumas demãos para criar a proteção adequada, mas o trabalho é fácil e toma pouco tempo. Antes de colocar a tábua em uso é preciso esperar até que estejam completamente curados.

As principais diferenças entre os dois são: o Olio Brasile altera menos o tom natural da madeira, cura mais rápido e é feito a partir de plantas brasileiras.

Verniz à óleo (meio a meio)

Este não é o verniz comum de marcenaria. O verniz à óleo é um acabamento feito com óleo e resina naturais para oferecer mais proteção e resistência que os óleos puros. A aplicação e manutenção são iguais às dos óleos naturais e o toque, mais sedoso. O intervalo de manutenção também é maior.

Combinar óleo com cera

As ceras naturais são acabamentos “persistentes”. Grudam e não saem fácil da madeira. Enquanto o óleo penetra nas fibras da madeira, a cera funciona como uma barreira física na superfície que protege contra manchas e líquidos. A cera também ajuda na higiene porque preenche marcas de faca e rachaduras microscópicas que podem alojar bactérias.

Usados em conjunto, óleo e cera proporcionam uma combinação eficiente com uma camada externa protetora e substrato interno saturado que é higiênico, fácil de manter e muito bonito. A nossa cera especial para tábuas de corte é a Artefice Cucina, feita com óleo mineral e cera de abelha. Nossa recomendação é que você escolha um dos óleos acima e depois aplique a cera Artefice Cucina.