Manutenção do acabamento com óleo

A vida útil do acabamento com os óleos está associada à exposição constante a intempéries. Em peças que não ficam expostas, a manutenção geralmente é feita quando a superfície está riscada ou com marcas de uso – o óleo ainda está protegendo a madeira, mas é preciso renovar a peça.

Quando a madeira não está exposta a intempéries a manutenção leva vários anos até ser necessária e, em geral, é porque a superfície está riscada, marcada ou suja e você quer remover estes defeitos. A nossa recomendação para peças internas é: a reaplicação de óleo só é necessária se a madeira escurecer ao ficar molhada – sinal de que ela absorveu água.

Por este motivo é preciso entender como o acabamento com óleo “envelhece” e quando é preciso fazer a reaplicação. As informações a seguir tratam da madeira exposta a intempéries e também podem ser usadas como referência para madeira não exposta.

Como o acabamento com óleo “envelhece”

Durante os primeiros meses após a aplicação do óleo a madeira tem lustro e um aspecto novo bastante natural. Com a exposição ao tempo/uso, o acabamento vai perdendo o lustro e começa a parecer que o óleo “saiu” da madeira.

Aqui o ponto importante é: o óleo não “sai” da madeira. O que está acontecendo, na verdade, é que a exposição oxida a superfície da madeira, nas peças expostas ao sol a radiação UV acentua a deterioração e, no caso da madeira com óleo, o efeito de todo este desgaste é perder a “cara” de acabamento.

Uma comparação com os vernizes ajuda a entender: quando o verniz vai ficando velho, ele racha e começam a aparecer fissuras no filme sobre a madeira. Como os óleos não formam filme, o desgaste aparece na superfície da madeira.

E isso é bom ou ruim?

É por causa desta forma de desgaste que não é preciso lixar a madeira para reaplicar os óleos. Quando é preciso renovar o acabamento, basta limpar a madeira para que a sujeira não fique grudada e, em seguida, aplicar óleo de novo. Não há filme rachado que precisa ser removido para fazer a manutenção.

Como saber se está na hora de reaplicar óleo

Para saber se está na hora de reaplicar o óleo, nossa recomendação é molhar a madeira e observar em seguida se ela fica mais escura. Isto é sinal de que ela absorveu a água e, portanto, o óleo não está mais protegendo a madeira de forma eficiente. Este teste vale para qualquer madeira protegida com óleo.

É claro que você pode reaplicar óleo antes disso acontecer. Por exemplo, em uma mesa ou bancada com muitos riscos e marcas de uso, você pode aproveitar que é fácil aplicar mais óleo para renovar o acabamento. Um lixamento leve, seguido de uma demão de óleo, faz maravilhas para deixar a madeira nova de novo.

Intervalo esperado para manutenção/reaplicação

Nas madeiras expostas ao tempo, o intervalo comum para manutenção varia conforme o óleo aplicado:

  • Óleo de tungue, Olio brasile: 6 a 9 meses
  • Olio per mobili: 12 meses
  • Olio per decking: 18 a 24 meses

Esta orientação leva em conta que foi aplicado o número de demãos recomendado, a madeira foi saturada com óleo na aplicação e foi usada a diluição recomendada. Para ilustrar isso: ao usar um pano (boneca) para espalhar óleo sobre um deck de madeira, você está aplicando uma quantidade mínima de óleo que não é suficiente para saturar a madeira. Neste caso, o intervalo para manutenção será menor. Isso vale também para tábuas de corte: óleo insuficiente faz com que a madeira absorva água e outros líquidos rapidamente.

Nas peças internas, não expostas a intempéries, o mais comum é que seja necessária apenas a manutenção para remover riscos e outras marcas superficiais. Desde que aplicados corretamente, a proteção dos óleos dura bastante tempo.

Nota importante

Por causa das particularidades, a manutenção das tábuas de corte e utensílios de cozinha é tratada separadamente.